Ferramentas Pessoais
Você está aqui: Página Inicial Artigos sobre Trompete Bocais
Acessar


Esqueceu sua senha?
 

Bocais

Um artigo sobre bocais, está em elaboração mas contem algumas informações interessantes. Contribuições são bem vindas

Bocais

O bocal é a peça do instrumento que é responsável por receber a vibração dos lábios, e repassar esta vibração para a coluna de ar no o interior do instrumento que irá modular estas vibrações conforme o comprimento do tubo do instrumento que pode variar com as chaves que estão selecionadas no momento e amplificar gerando o som.

O bocal influencia diretamente o timbre e a altura do som produzido pelo trompete, deve-se levar em conta as características do bocal para cada tipo de som que se deseja produzir. A escolha do bocal é muito particular e não há uma regra definida que se aplique a todos, entretanto, para os instrumentistas iniciantes, podemos recomendar as numerações entre 7 à 5 (numeração padrão dos bocais BACH).

A figura abaixo apresenta o corte de um bocal e as suas partes:

bocal

Características de cada parte:

  1. Diâmetro interno do copo:
    1. Diametro interno mais largo facilita a produção dos tons mais graves com tonalidade rica enquanto que diametros menores auxiliam a produção de sons mais agudos.
  2. Largura da borda do copo:
    1. Um contorno chato tende a segurar os lábios no lugar, por isso bordas com um contorno mais arredondado permitem maior flexibilidade que os de contorno chato. Uma borda mais larga aumenta o conforto e a resistência sobre uma borda mais estreita. Porém uma borda larga oferece menos flexibilidade.
  3. Forma da borda:
  4. Borda do copo:
    1. Uma borda que tenha a beirada (bite) mais aguda no lado de dentro fornece articulações mais claras por segurar os lábios no lugar.
  5. Copo:
    1. Com o aumento do cup em tamanho, sobrará mais lábio para vibrar o que faz um som com mais volume. A profundidade do cup ajuda a controlar a qualidade do tom. Um formato arredondado produz um som mais brilhante. Quando mais o formato se aproxima de um "V", mais opaco o som se torna. 
  6. Garganta:
    1. Diametro maior produz maior volume e menor controle, enquanto diametro menor produz menor volume e menor controle
  7. Backbore
    1. O formato do backbore, tão como seu volume, é muito importante no controle da resistência e da qualidade sonora. Geralmente um backbore mais justo ou menor produz um som mais brilhante enquanto que um backbore mais largo produz um som mais opaco e meloso.
  8. Skank
    1. O tamanho do shank controla quão fundo o bocal se encaixa nos lábios. Na maioria dos instrumentos o bocal não se encaixa contra o fim do bocal, criando assim uma brecha entre o fim e o começo do bocal. Essa brecha é muito importante na medida que ela afeta a resistência e a entonação; uma brecha menor produz menos resistência e vice-versa.

 

 Materiais dos bocais:

Existem aproximadamente 5 tipos de materiais utilizados para a confecção de bocais para trompete entre eles:

 

Folheado a ouro:

 

 Para uma pequena porcentagem da população e os mais luxuosos trompetistas, existe uma opção disponível para dourar teus bocal.Para algumas pessoas que são alérgicas a prata, este é o melhor opção (mas não a mais barata) para que o instrumentista não tenha desconforto com o bocal. Ouro não mancha, por natureza, requer pouca manutenção e bastando lavar regularmente com água e sabão.

 

Banhado a Prata

 

Banho em prata é padrão em todos os bocais, pois é a melhor relação custo-eficácia, e é um bom material em termos de qualidade sonora. Não é tão confortável nem tão caro como o ouro, mas ainda tem propriedades e qualidades que são, por vezes, necessário para alguns estilos musicais. Alem de emitir um som mais claro e brilhante do que o ouro sendo bom para os estilos musicais que necessitam clareza e projeção. Além disso, é mais barato do que o ouro, mas requer uma maior manutenção, devido sua tendência de oxidar facilmente. Pode ser polido com polidor de prata para retornar ao seu brilho natural.

 

Plástico


Uma terceira opção é um bocal de plástico feito de plástico Lexan. Alguns dos aspectos positivos destes bocais são de que elas são muito duráveis e não amassam como os bocais de metal e são muito baratos em comparação com os bocais de metais. São comumente usados para tocar em condições exteriores devido sua característica de "esquentar" muito rápido. Eles são amplamente utilizados por instrumentistas em marcha (militares) devido a estas características listadas acima. O aspecto negativo deste tipo de bocal é que pode não ter o mesma qualidade sonora e sentimento como os bocais de metal.

 

Outros


Duas recentes adições ao mundo do bocal são os bocais de aço inoxidável e titânio. Eles são relativamente raros, sendo produzido por poucos fabricantes. Os bocais de Aço inoxidável e titânio tem muitas vantagens para os bocais clássicos, incluindo, um som mais centrado devido o aço inoxidável e o titânio não absorverem tanto as  vibrações como os bocais tradicionais. Requerem muito menos cuidados,entre outras vantagens. Entretanto, eles são muito mais caros.

 

Bocais indicados

 

A escolha do bocal é algo muito individual e depende de sua formação bocal e como seu bocal encaixa na sua boca. As dicas que serão apresentadas abaixo são apenas sugestões.

Iniciantes: Geralmente com bocais como o 11C4-7C (Yamaha), 7C (Bach) ou 7C (Giardinelli). É recomendável ficar com o tipo de cup e backbore que venha com um desses bocais. A escolha da borda (larga) é uma área em benefício do estudante neste estágio, desde que a escolha seja de acordo com a formação dentária, lábios e o maxilar do estudante. Há ocasiões em que se escolhendo um bocal com um diâmetro maior será melhor para o estudante. Se após algumas semanas o estudante ainda tiver problemas produzindo um tom, tente uma borda mais larga.

Em muitos casos em especialmente se o estudante tem os dentes frontais muito largos ou usa aparelhos, uma borda mais larga ajudará a soltar os lábios, permitindo assim uma vibração mais fácil.

Intermediários: Nesse estágio o estudante terá dessenvolvido maior resistência e poderá mudar para um bocal mais largo. É recomendável ficar com um cup e backbore de tamanho médio. Uma típica mudança seria de um 11C-7c ou equivalente para um 14C4 (Yamaha), Bach 5C ou Giardinelli 5C. Mudando para um bocal ainda mais largo dará um som mais cheio e um tom mais ressonante. 

Avançados: Se o trompetista está tocando em uma banda de jazz, especificamente se o repertório é pesado, ele optará para um bocal que realce os registros agudos tão como produzindo uma qualidade de tom que o ajudará a dar as "cortadas" na banda. Isso geralmente significa escolher um cup e backbore menor como os 13A4a (Yamaha), Schilke 13A4a ou os 14A4a (Yamaha), Schilke 14A4a e o Giardinelli 6S. Trompetistas estudando um método de jazz provavelmente preferirão um tom mais cheio, sendo o bocal um 13B4 (Yamaha), Bach 6C ou um 14B4 (Yamaha), Bach 3C, ou o Schilke 15B. Se o estudante está interessado em tocar em uma orquestra sinfônica, então provavelmente escolherá um 16C4 (Yamaha), Bach 11/2C, Giardinelli ST-2 ou um 17C4 (Yamaha), Bach 1C ou o Giardinelli 3C.

 

Fontes: Wikipedia, http://www.csr.com.br/trompete3.htm,

Ações do documento
« Abril 2014 »
Abril
SeTeQuQuSeSaDo
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930